Escolher, por Nina Rosa


Escolher é demonstrar quem somos. Palavras são quase desnecessárias, e, talvez, mesmo inúteis, perante a fôrça de nossas escolhas a cada momento de nossas existências, pois demonstramos quem somos para nós mesmos.
É assim que vou me conhecendo: não pelo penso ou sinto, mas pelas escolhas que faço do meu pensar e sentir.
Nem sempre respeitamos nosso pensar ou sentir e podemos fazer escolhas que nos agridem. Masoquismo? Carma? Talvez falta de auto-conhecimento ou de auto-respeito.
Felizmente com o avançar da idade é bem mais raro isso acontecer, e, se acontece, percebemos rapidinho e podemos escolher mudar aquela escolha. É o livre-arbítrio, aquele que nos impede de culpar outros pelo que nos acontece, pois tudo é resultado de escolhas nossas, conscientes ou não.
Às vezes, nossa vida toma rumos totalmente inesperados, não por alguma grande escolha que tenhamos feito; mas por pequenas escolhas que fomos encadeando no dia a dia. E se um dia me pergunto como vim parar aqui?Percebo que foi porque fui aprendendo a respeitar meus sentimentos, inclusive aqueles chamados de intuição, que, ao serem reconhecidos, vão se fortalecendo e formatando minhas escolhas e quem me tornei. Hoje. Por que amanhã é outro dia e posso escolher fazer novas escolhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário