Jornal capixaba estimula exploração de cães de guarda

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Ontem a Gazeta (Vitória/ES) trouxe uma matéria promovendo irresponsabilidade social ao fazer uma propaganda explícita da exploração de cães como animais de guarda. A jornalista que fez a matéria simplesmente falou das “vantagens” para quem treina e lucra com esse negócio sujo.
Em momento algum ele se incomodou com a regra mais básica do jornalismo que é ouvir o outro lado, no caso o bem estar animal. Ele não questionou, por exemplo, o que acontece com esses animais quando eles ficam velhos. Eles vão ser aposentados? Como os adestradores vão financiar isso? Quem vai fiscalizar? Ou eles vão ser jogados na rua para sofrer, passando assim o problema para a sociedade? Como eles vivem quando não estão “trabalhando” e como eles são tratados quando estão trabalhando, correndo risco de morte ao serem postos na linha de frente do crime. E a injustiça explícita que está em transformar um animal dócil em uma máquina de matar?
Com uma simples pesquisa no Google e ela teria descoberto que no Rio Grande do Sul essa exploração de animais é proibida, mas para que se incomodar se o objetivo da matéria é promover o comércio sem se incomodar com as verdades óbvias.
O email da jornalista é beatriz.marcarini@redegazeta.com.br. Escrevam por favor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário