Carne: os Estados Unidos vão salvar a humanidade, por Ellen Augusta Valler de Freitas

130514 desob
Foto: Divulgação
Um site que espalha memes com frases de apologia à violência tem uma imagem com a conhecida afirmação de que a humanidade está no topo da cadeia alimentar. Uma espécie que tem a prepotência de se colocar acima de outras, mas que depende completamente de elementos frágeis para sobreviver, pode estar em qualquer lugar. Menos no topo.
Sem energia elétrica, em menos de um ano o caos estará completo. Se faltar água, o virá mais cedo ainda. Comer uns aos outros é questão de tempo.
A tirania humana se apoia em bases muito fracas e em um orgulho idiota e pouco inteligente. A espécie é onívora, mas age como carnívora e não quer se sentir responsável por isso. Não quer se culpar por nenhum de seus atos. Um filósofo de gabinete me perguntou, certa vez, se não seria responsabilidade demais para a humanidade. Mas se com esta questão específica – comer carne – não precisamos nos preocupar, também outras questões, como transar com qualquer pessoa sem consentimento, roubar, matar, estariam fora do debate?
Para o que é conveniente e cômodo vale esse argumento torpe de que não é preciso se responsabilizar demais? E tudo isso esquecendo-se de que há outras espécies em jogo, outras vidas, a quem sugamos como vampiros.
Temos que nos virar, conquistar a independência em todos os níveis, inclusive o alimentar, libertando as outras espécies e a natureza. E acabar com a ideia paternalista de que, se algo terrível acontecer com o planeta, os Estados Unidos irão nos salvar.

ANDA

Nenhum comentário:

Postar um comentário