Aves são sequestradas dentro de centro de resgate em Manaus (AM)


Uma sindicância interna foi instaurada para apurar o desaparecimento de animais do Refúgio da Vida Silvestre Sauim Castanheira, na Zona Leste de Manaus (AM). Oito aves foram sequestradas do local no sábado (3), segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas). O recebimento de espécimes está suspenso temporariamente no local.
Conforme a Semmas, o espaço foi alvo de sucessivas tentativas de invasão nas últimas semanas. Além das aves levadas no sábado, dois quelônios, uma curica-roxa e dois gaviões carcará também foram sequestrados em dias anteriores.
O órgão relata que as tentativas começaram a ocorrer no dia 24 de novembro, quando um arrombamento da sala de necropsia do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) foi constatado pelos funcionários que atuam no refúgio. Nenhum animal foi levado na ocasião. Um dia depois, novo arrombamento foi registrado, desta vez em um centro cirúrgico onde eram mantidos em observação, entre outros animais, um tracajá, um jabuti e uma ave da espécie curica-roxa, que foram levados. Os animais estavam em recuperação após serem submetidos a procedimentos clínicos.
A Semmas informou ainda que, na segunda-feira (28), três homens foram flagrados portando três gaiolas, cada uma com um gavião carcará. Ao serem vistos pelos funcionários, os três fugiram sem serem identificados deixando as gaiolas com os animais, que foram devolvidos aos recintos onde estavam abrigados. No dia seguinte, foram levados dois carcarás após o arrombamento da gaiola onde estavam as aves.
A última ocorrência foi registrada na madrugada do sábado (3), quando outra gaiola teve a estrutura metálica cortada e dois tucanos, cinco papagaios e um gavião carcará foram levados do local.
“Estamos acionando os órgãos de investigação tanto da esfera estadual quanto da federal, porque a suspeita é de que o Refugio da Vida Silvestre Sauim Castanheiras esteja sendo alvo de um grupo especializado em roubo e comércio de animais silvestres”, explica o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Itamar de Oliveira Mar.
O Refúgio da Vida Silvestre Sauim Castanheiras é uma instituição que visa tratar e devolver para a natureza animais silvestres encontrados em situação de risco no meio urbano. A entidade funciona numa área de 95 hectares situada no Distrito Industrial 2, na Zona Leste de Manaus. É mantida pela Semmas desde 2000.
O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), responsável pela autorização dos centros de triagem no Estado do Amazonas, também foi comunicado acerca das ocorrências, uma vez que a gestão de fauna é atribuição do órgão estadual de meio.
A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que, de acordo com informações dos delegados Samir Freire e Eduardo Paixão, da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema) e 23º Distrito Integrado de Polícia (DIP), respectivamente, até a tarde da segunda-feira (5) nenhuma ocorrência relacionada ao sequestro de animais na Reserva Saium Castanheira foi registrada nas referidas unidades policiais.
O Ibama informou que não recebeu comunicação oficial sobre o assunto. “Quanto ao acompanhamento em relação ao Sauim Castanheira, o Ibama recebe anualmente o relatório do centro de triagem. Este relatório contém informações do plantel atualizado dos animais.
As informações sobre transferências, destinações, solturas, óbitos, fugas e outras são colocadas nesse relatório para acompanhamento do Ibama. O controle é feito também pelo Sisfauna, um sistema do governo que contém dados deste gênero. O fluxo de animais precisa ser registrado para controle, inclusive o Ibama é responsável por autorizar o transporte”, diz nota enviada ao G1.
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário