Número de veganos cresce 360% na Grã-Bretanha



O número de veganos na Grã-Bretanha aumentou em 360% ao longo da última década, o que fez com que o veganismo tivesse o mais rápido crescimento entre outros movimentos de estilo de vida na região, de acordo com um novo relatório da Vegan Society e da Vegan Life magazine.

Hoje existem mais de meio milhão de veganos no Reino Unido, tipicamente moradores urbanos, com idade entre 15 e 34 anos e motivados por razões éticas e compassivas.

O tenista número 1 do mundo Novak Djokovic credita a transformação de sua saúde e seu desempenho a uma dieta vegana e abriu um restaurante vegano em Monte Carlo, no Mônaco.

O ex-boxeador britânico de peso pesado mundial David Haye, 35, se tornou vegano há dois anos e meio.

Em entrevista ao The Independent, seis meses depois de mudar seu estilo de vida, ele disse: “Assisti a um documentário de TV sobre como os animais são criados, mortos e preparados para consumirmos. Vi todas aquelas vacas e porcos e percebi que eu não podia fazer parte disso, era horrível. Realizei algumas pesquisas para verificar que ainda conseguia obter proteínas suficientes para lutar e, uma vez satisfeito, consegui parar, nunca mais voltarei”.

Venus Williams, ex-campeã de Wimbledon, também adotou o veganismo e Barny Du Plessis é o primeiro fisiculturista vegano do mundo e ex-titular do Mr. Universe. Ele costumava consumir 20 claras de ovo por dia, sua dieta atual consiste principalmente em vitaminas de proteína, bananas e legumes.

Estes atletas estão na vanguarda da mudança de atitudes em relação à alimentação e ao exercício físico. Eles provam que você pode estar em forma e saudável com uma dieta à base de vegetais, ao contrário da crença de que é necessário consumir grandes quantidades de frango e ovos para construir músculos ou emagrecer.

Ao mesmo tempo, documentários como “Cowspiracy”, de Leonardo DiCaprio. estão aumentando a conscientização sobre os efeitos negativos da produção de carne sobre o meio ambiente.

Conforme mostra o filme, nossas escolhas alimentares são responsáveis por mais de 50% das mudanças climáticas.
Ao educar os telespectadores, o documentário promove o veganismo.

“A percepção pública do veganismo está mudando rapidamente, não é mais [considerado] um estilo de vida extremo, é fácil e acessível.Você pode entrar em qualquer supermercado e ver uma enorme variedade de leites vegetais e outros produtos veganos amigáveis”, diz Keth Coomber, diretor de publicação da Vegan life magazine.

Cerca de metade dos 1,68 milhão de vegetarianos da Grã-Bretanha manifesta o desejo de reduzir o consumo de produtos animais. Este crescimento espetacular do veganismo não mostra sinais de desaceleração no país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário