Proposta de concessão ameaça aprisionar aves no Parque Ibirapuera, em SP

Sabiá laranjeira (turdus rufiventris), Parque Ibirapuera. Foto: Pedro Cristales EL.



O edital prevê a criação de um cativeiro de aves e a demolição do Viveiro Manequinho Lopes.


Um edital de concessão para prestação de serviços de gestão, operação e manutenção do Parque Ibirapuera, em São Paulo, está sob consulta pública no portal da Prefeitura do município.

A proposta desvaloriza e desvirtua o valor ambiental e histórico do parque e afeta também o Viveiro Manequinho Lopes, que tem demolição proposta pelo Plano de Ocupação Referencial do edital. Tanto o Ibirapuera quanto o viveiro, responsável por pesquisas e pela produção de mudas de plantas destinadas aos plantios das áreas públicas da cidade, são tombados pelo Condephaat segundo a Resolução da Secretaria de Cultura 01/92, de 18/12/1992.
Driblando a resolução do tombamento, a demolição visa possibilitar que seja construído um restaurante de 400 m² no local onde atualmente está situado o viveiro.
O edital prevê ainda o cruel aprisionamento de aves em cativeiro. A área, que hoje é refúgio de aves silvestres que desfrutam de plena liberdade, daria lugar ao chamado “parque de aves”, que as manteria presas.

Viveiro Manequinho Lopes (Foto: Reprodução / Site do Parque Ibirapuera)
Um abaixo-assinado online, contrário à proposta, está recolhendo assinaturas pela proteção do parque e do viveiro. “O alto número de estabelecimentos comerciais reflete a intenção de originar fontes de lucro para as concessionárias que arrematarem o Parque Ibirapuera e o Viveiro Manequinho Lopes, desvirtuando a vocação ambiental e de lazer contemplativo da natureza proporcionados para toda a população da Cidade de São Paulo”, diz a petição.
Uma audiência pública irá discutir o assunto no dia 14 de março, às 10h, no Auditória da UMAPAZ, no Parque Ibirapuera, localizado na Av. Quarto Centenário, 1268, Jardim Luzitânia.
“Sim à conservação dos prédios e serviços públicos e espaços naturais do Viveiro Manequinho Lopes e do Parque Ibirapuera. Não à mercantilização dos parques públicos da cidade de São Paulo!”, conclui o abaixo-assinado.
Nota da Redaçãoa ANDA repudia a proposta que prevê a destruição de um viveiro de produção de mudas de plantas e a implantação de um cativeiro de aves no Parque Ibirapuera por entender que é de suma importância a defesa da flora para preservação do meio ambiente e que aprisionar aves é uma prática extremamente cruel, que fere o direito à liberdade desses animais.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário